Embrapa Uva e Vinho Embrapa Uva e Vinho

Acesse também

Acesso à Informação
Seleção de Chefe Geral
Sistemas de produção Agência de Informação Embrapa
Sistemas de produção Sistemas de Produção
Informação para criação e cultivo
Produtos e Serviços Catálogo de Produtos e Serviços
Memória Embrapa Memória Embrapa
A história da Embrapa
Proeta Proeta
Incubação de agronegócios
ISTW International Symposium on Tropical Wines
Vitibrasil Vitibrasil
Dados da Vitivinicultura
Cadviti Cadviti
Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul
Uvas do Brasil Arranjo
Uvas do Brasil
Embrapa Uva e Vinho
Página Inicial Fale conosco Embrapa Sede Ouvidoria
Buscar

Como elaborar vinho artesanalmente

Luiz Antenor Rizzon

Para elaboração do vinho é importante, inicialmente, separar o engace (cacho) dos grãos da uva e depois esmagar, para facilitar a extração do mosto. O esmagamento da uva não deve ser um processo enérgico que triture a película, mas o suficiente para facilitar a extração do mosto.

A elaboração do vinho tinto requer obrigatoriamente a participação da película da uva (casca). No caso do vinho branco, ao contrário, ele se distingue pela fermentação exclusiva do mosto, sem a película. Para elaborar vinho tinto, o período que a película fica em contato com o mosto é variável segundo o tipo de vinho que se quer. Vinhos mais leves (ligeiros) são feitos a partir de períodos de contato da película com o mosto curtos, geralmente, 2 a 4 dias. Não se recomenda deixar muito tempo com a casca principalmente quando a uva utilizada para elaborar o vinho é de pouca qualidade. O período que o mosto fica em contato com a película é designado de período de maceração.

Fermento

Quanto a utilização de fermento é importante utilizar levedura (fermento) seca ativa, específica para vinho. São fermentos selecionados para dar um bom rendimento alcoólico e contribuir favoravelmente para o aroma do vinho. A quantidade de levedura recomendável é de 20g/hl de mosto. Essas leveduras podem ser compradas em casas especializadas como por exemplo a Novo Nordisk da cidade de Araucária no Paraná - fone (0x41) 483-2211 -, ou outra que tenha disponível leveduras para uso enológico. As leveduras mais utilizadas na vinificação são da espécie Saccharomyces cerevitiae.

Convém salientar que é mais importante utilizar levedura selecionada na elaboração do vinho branco. Quando se faz vinho tinto, a utilização de leveduras selecionadas não é tão importante pois, existe na própria película de uva e difundidas na atmosfera, um número considerável de células de leveduras (fermentos) que poderão fermentar o mosto.

Tipo de recipiente

Em relação ao tipo de recipiente para elaborar vinho, o mais utilizado e recomendável é o de madeira ou também de aço inoxidável. Não é aconselhável utilizar recipiente de plástico e de cimento e evitar aqueles de amianto. No período que a uva esmagada permanece em contato com a película o recipiente pode ficar fechado ou aberto na parte superior. O recipiente fechado dificulta mais a ocorrência de alterações microbianas mas, por outro lado, favorece o aumento da temperatura.

No período em que a uva fica em contato com a película é conveniente homogeneizar a massa em fermentação, retirando o mosto da parte de baixo e colocando sobre a parte sólida da uva, que quando inicia a fermentação alcoólica, fica na parte de cima do recipiente. Esta operação chamada remontagem, deve ser feita no mínimo duas vezes ao dia.

Tempo de fermentação

O tempo de fermentação é variável com a temperatura de fermentação. No caso da elaboração do vinho tinto, no período que o mosto fica em contato com a película ocorre a fermentação tumultuosa. A seguir, o mosto-vinho é separado da casca e colocado em outro recipiente fechado, adaptado de uma válcula para permitir a saída do gás carbônico que se desprende na fermentação. Nestas condições, o mosto-vinho conclui o processo de fermentação alcoólica, isto é, todo o açúcar deve ter se transformado em álcool, e o vinho está praticamente feito.

As operações seguintes são no sentido de contribuir com a clarificação e a estabilização do vinho, principalmente através das práticas designadas trasfegas.

Para não virar vinagre é aconselhável

  • Utilizar uva sã;
  • Utilizar adequadamente o metabissulfito de potássio, na dose certa e no momento adequado;
  • Acompanhar cuidadosamente a fermentação alcoólica (não deve apresentar nenhum cheiro de vinagre no decorrer do processo fermentativo);
  • Efetuar as remontagens adequadamente;
  • Utilizar recipientes enológicos adequados (sem cheiro de vinagre, limpos);
  • Manter a cantina (local de vinificação)perfeitamente limpa e higienizada;
  • Depois do vinho pronto, manter a pipa sempre cheia, e a cada 15 dias verificar se houve diminuição do volume de vinho; caso necessário completar o volume com um vinho de qualidade.

Para mais informações, consulte as seguintes publicações:

  • "Elaboração de suco de uva na propriedade vitícola"
  • "Como elaborar vinho de qualidade na pequena propriedade"
Copyright © Embrapa Uva e Vinho. Todos os direitos reservados.
Mais informações: cnpuv.sac@embrapa.br
Última modificação: 2014-04-24
Rua Livramento 515, Caixa Postal 130
95700-000 Bento Gonçalves, RS - Brasil
Fone: (54) 3455-8000 - Fax: (54) 3451-2792