Sistema de Produção de Uva de Mesa do Norte de Minas Gerais

Alexandre Hoffmann

Apresentação

A produção de uvas de mesa no Brasil encontra-se em expansão. A ampla adaptabilidade da videira à uma gama diversificada de climas, os benefícios do controle da irrigação em climas de pluviosidade baixa ou estacional, a maior facilidade de controle de doenças em períodos de pouca incidência de chuvas, dentre outros fatores, tem impulsionado o cultivo de uvas para mesa para regiões de clima tropical de tal modo que a região Nordeste e Sudeste do Brasil respondem por grande parte da produção de uvas de mesa no País.

Entretanto, esses fatores favoráveis somente dão resultado econômico se complementados com um nível tecnológico de produção capaz de assegurar produções compatíveis com a qualidade exigida pelo mercado e com a produtividade necessária à tão almejada rentabilidade para o produtor. É neste sentido que a Embrapa Uva e Vinho, em tendo sua missão focada na viabilização de soluções tecnológicas para as cadeias produtivas da uva, do vinho e das frutas de clima temperado, tem dado importantes contribuições, ao longo de seus 30 anos de trajetória, para o aumento da competitividade da produção de uvas em climas tropicais. Em especial na região Norte de Minas Gerais, têm sido avaliadas e recomendadas diversas práticas nas diferentes fases da produção, com base no acompanhamento e avaliação de tecnologias, por parte da equipe da Embrapa Uva e Vinho com o apoio de produtores da região. Neste particular, merecem destaque a validação de cultivares de uvas sem sementes desenvolvidas pela Embrapa Uva e Vinho e o desenvolvimento do sistema de Produção Integrada de Uvas Finas de Mesa, em andamento na região.

O presente Sistema de Produção destina-se a sistematizar e apresentar ao público interessado, informações detalhadas sobre os principais aspectos da produção de uvas de mesa, desde as condições climáticas e a implantação do vinhedo até os principais cuidados na etapa de pós-colheita. Desta forma, é nosso objetivo contribuir para a difusão do conhecimento e da utilização de técnicas de produção que permitam incrementar a competitividade da viticultura no Norte de Minas Gerais, bem como os benefícios econômicos e sociais decorrentes do desenvolvimento desta importante cadeia produtiva.

Topo